16 de maio de 2011

Desordem








Confundo esses com aqueles
Venho pra cá ao invés de ir pra lá
Bebo o que deveria comer
Como o que deveria guardar
Durmo quando o sol ainda brilha
Enlouqueço o que me resta de sã
Escrevo palavras sem letras
Canto canções em silêncio
Caminho sem mover os meus músculos
Choro sem molhar os meus olhos
Alegro-me ao sentir-me tristonha
Entristeço-me só pra provar que estou viva
Pois que o viver nada mais é que a mais pura verdade
Que as contradições põem às vistas e aos sentires...

Lai Paiva

2 comentários:

  1. uiaaaaa
    :} che belo!!

    ResponderExcluir
  2. Amiga... Linda as palavras! Tão profundas... Para variar um pouquinho, deixando o meu coração bem apertado!!! Quero um próximo poema seu de felicidade! Será que é´possível?! Ou vcs poetas só conseguem escrever de momento mesmo? Rsrsrsrsrs!!! Amo muito vc!!!! E é para sempre!!! Beijocas Miloca!

    ResponderExcluir