14 de março de 2011

Poeminha revoltoso de amor...



Bem feito o sofrer
Pra quem acredita no amor
Pra quem acredita que amar
Vale, vale sempre a pena
Bem dada a desilusão
Aos que fecham os olhos
Quando ouvem palavras bonitas
Bem justo o pesar
Àqueles que perdem tudo
Por tudo ter apostado no amor
Bem merecido o engano
À quem se deixa enganar
Por uns "eu te amo" incertos
Bem feito seria pro amor
Perder sua crença de vez...


Lai Paiva

6 comentários:

  1. não adianta,
    o amor sempre vence!


    =)

    ResponderExcluir
  2. ahhhh, mas nesses trancos
    tropeços
    não me esqueço da dor, é veradde
    mas a felciidade sempre vem quando
    se procura amar
    e mesmo nas quedas
    é nesse abismo de surpresas
    e incertezas que preciso me atirar vez em quando.

    Abraços, flores e estrelas...

    ResponderExcluir
  3. E se tivéssemos o poder de passar por tudo de novo? Poderíamos corrigir, mas no processo, desconstruir o que somos agora.

    O amor é revolta, fugimos e paramos na mesma soleira, de uma nova porta.

    Abraço e ótima noite!

    ResponderExcluir
  4. Sempre caimos no mesmo erro: nos entregar totalmente. Mas como ser feliz no entanto, mesmo por breves momentos, sem essa entrega? O amor somado a ilusão cruelmente cobra o seu preço. São os dois lados de uma mesma moeda, felicidade e sofrimento... ilusão e desilusão... belo poema querida, beijos.

    ResponderExcluir
  5. Fernands, Sam, Joakim e Milene, muito, muito, muito obrigada pelas visitas e apreciações, pelo carinho. Bom tê-los por aqui. Beijo

    ResponderExcluir
  6. Amor... Eita coisa complicada! É bom, é ruim, é gosotoso, é complicado, doi, é maravilhoso, faz sorrir, faz chorar, da saudade, da revolta, começa, termina, as vezes é para sempre, as vezes não, existem vários tipos... E assim vai!!! Mas o principal! Cada um ama de um jeito!!!

    Amei Lai! Beijocas Miloca!

    ResponderExcluir