20 de outubro de 2009

Quisera ir-me
Ao lado oposto
Do bem querer
No desencontro
Do meu gostar
Alí afora
Do meu sentir
E me encontrar
No esquecimento
Por onde andam
Minhas lembranças...
.
Lai Paiva

8 comentários:

  1. Como o poeta Cazuza já dizia: "nadando contra a corrente, só pra exercitar todo músculo que sente..." Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Wilson, é verdade, é bem verdade!

    ResponderExcluir
  3. Há uma música de uma banda aqui de Brasília que diz, "o melhor lado é o oposto, do exposto que eu tanto gosto"
    Este poema me fez lembrar dela.

    Bonito, Lai. Gostei! Bjos.

    ResponderExcluir
  4. Lara, sempre vc acrescentando algo a mais nos meus escritos, esse algo sempre enriquece. Obrigada querida!!!

    ResponderExcluir
  5. encontras as lembranças em tom maior onde a singularidade das coisa pode o esquecido gostar... bjs moça.

    ResponderExcluir
  6. Rodolfo, suas palavras à respeito das minhas me deixam extremamente lisonjeada. Obrigada!!!

    ResponderExcluir
  7. Se eu me encontrar
    com as minhas lembranças
    não me depararei
    com o oposto do esquecimento
    que é o lembrar
    do que eu queria esquecer?

    rs...
    to só pensando, Lai... rs

    E pensar que tudo isso é especulação:
    não escapamos do que fomos,
    do que vimos,
    do que amamos.

    Bjo grande.

    ResponderExcluir
  8. Talita, seu "pensamento alto" instiga o pensar... Beijos querida. São muito ricos seus comentários.

    ResponderExcluir